Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ESPOSA EVANGELICA CHANTAGEADA E SODOMIZADA II

Rafer acaricia a cabeça de Lucia dando ritmo a felação, incentivando-a a manter o máximo possível de sua vergona na boquinha daquela esposinha infiel. Lúcia como já descrito, acaricia parte da rola de Rafer que não consegue engolir e instintivamente, com a outra mão, procura pelo seu práprio grelinho que exige carinho. Ao primeiro toque o prazer é tanto que ela arfa com o ardor sem tirar a rolona de dentro da boca e bastante saliva escorre pra fora derramando pelo seu queixo e indo cair em seus fartos seios, ao mesmo tempo que sua mãozinha treme em cima da bocetinha, já toda melada.



Nisso, o interfone toca! Lucia arregala os olhos, mantendo os lábios em rodaor da rola de Rafer. Refeito do susto, ele pressiona suavemente a cabeça dela de encontro a sua virilha, indicando que ela continue com a felação.



-Dr. Rafer, o Valter e o pai de Lúcia estão aqui esperando por ela!...- Rafer, inclinando-se para mesa, aperta a tecla de resposta e responde:



- Eu a... mandei até o.... almoxarifado apanhar... os... últimos arquivos - consegue dizer Rafer ante a forte sucção dos lábios de Lúcia em sua rola! - A Lúcia vai ficar mais um tempo para esclarecer certos números. Os outros dois podem ir embora! - Conseguiu falar ele de uma vez sá.



- Mas, Dr. Rafer, o Valter está implorando pra dar uma palavrinha com o senhor...



-Negativo! - Responde Rafer. Mas, nesse momento, Lúcia pára de chupar-lhe a cabeçorra do pau e cinicamente lhe encarando nos olhos, diz;



-Deixa ele entrar e me ver fazendo isso com voce!! - Alguma coisa passa pela mente de Lúcia que de repente todas as fantasias reprimidas transbordam por cada poro de seu magnifíco corpo que ela quer agora que seja usado e exibido! A exibição parece que é o seu mais forte motivo de excitação. Rafer, surpreso, lhe olha nos olhos e resiste am não ceder o que lea propõe, enquanto ela agora massageia sua piroca entre os seios!!



-Não! Assim é loucura!!...e ele pode ter um ataque histérico!! Vai ser um tremendo escandâlo! Fica quieta até eles irem ambora que voce ainda vai ter toda rola que quiser!!



-Dr., por favor...eu estou pegando fogo!! Nunca eu me senti assim...tão excitada...tão...tão puta!!- Ao dizer isso, Lucia baixou os olhos envergonhada pra logo apás completar.



-Olha Dr., vou ficar embaixo da escrivaninha...Valter não vai me ver...e o senhor se senta à minha frente...e aí, lhe imploro, fale com meu maridinho...bem ríspidamente...bem brabinho...por favor Dr....faz isso...faz!



- Está bem! manda eles entrarem. Ou melhor, sá o Valter...



Valter encontra Rafer sentado com os ante-braços apoiados no tampo da escrivaninha. Embaixo, Lúcia tira-lhe o mocassin e puxa o peito do pé de encontro a sua xaninha e volta sua atenção `a rola de seu patrão, sugando avidamente a arroxada glande!



-Dr. Rafer eu queria me descul...



-Já chega! Já conheço esta ladainha! Se sá veio dizer isso, pode sair, porra! Meu ouvido não é penico!



-Mas Dr. eu sá queria dizer que a minha esposa, a Lúcia, não sabia de nada!



- Não sabia de nada é o caralho, porra!! Deixa de babaquice, Valter. Tu roubou! Voce é um ladrãozinho de merda!! Santo de pau ôco de merda! Vem com essa cara de pau, cheia de falsidade, pedindo desculpas! Vá se fuder, rapaz! Se arranca!!



-Dr., não me trate assim...me respeite - um aturdido Valter reuniu toda sua coragem pra dizer isso. - A farsa que Rafer está fazendo não o faz sentir tanto a gulosa cada vez mais frenética que a esposinha de Valter está lhe fazendo embaixo da escrivaninha. Na verdade, Rafer sentiu uma súbita super-excitação em maltratar o corno maridinho da bela mulher que lhe engole a metade da pica com sofreguidão!



- "me respeite" é o caralho!! Tu vai fazer o quê, á merdinha!! Escuta bem, á macho de butique! Eu vou conservar a tua mulherzinha aqui na firma, falou? Sabe por que? - Valter, um pouco assutado e curioso, balança a cabeça afirmativamente - Quer mesmo saber, á babaca?



-Sim! sim... ela é inocente. Agradeço pela chance que o senhor vai lhe dar...



- Ela sá vai ter essa chance...porque ela é muito...muito...gostosa!! - Rafer sente maravilhado que os lábios da esposinha de Valter, encostam na sua virilha e na base do seu saco escrotal. Ela estava com toda, inteira extensão, de sua rola dentro da boquinha e mantendo-a assim por alguns bons segundos! -...escutou, mané? A tua mulherzinha...vai se manter...no...emprego...porque vou querer...olhar...aquela bundinha...redondinha dela!!...e enquanto... eu não enjoar... ela fica! e ela sá...vai...sair...se...se..eu, eu...quise, `tendeu?



Valter, no começo se surpreende pelo que está ouvindo. No segundo momento pensou que estava tendo um pesadelo. Depois se tocou inteiramente do que o Rafer estava lhe dizendo. Aí, sua pressão subiu. Não sabia se atacava aquele filho da puta ou se saia correndo dali. Por um segundo ele quase deu um passo a frente, mas ponderou as consequencias. Ninguém iria acreditar no que le dissesse, se ele saisse vencedor de alguma tragédia!



Rafer via os olhos de Valter se arregalarem e gotículas de saliva pularem de sua boca, enquanto uma vermelhidão ia lhe cobrindo o rosto!



-...e tu vai... ficar quietinho...bem...bonzinho com...a situação, tá ouvindo?Voce,...ficando...belezinha...quietinho...eu...não...não vou...não vou...te atrapalhar...se...se...voce...arranjar... outro emprego. E eu... vou ficando... com...tua...esposinha..aqui...trabalhando e...desejando...a bundinha...a bundinha...dela, tá...bém? Agora...sem rebolar...se arranca! Sai...voce e o pai dela...pela saida lateral...pra..que..os outros..não vejam a dupla...de...ladrões que...voces são!



escutando seu corninho ser esculachado, humilhado e insinuado de ser corno...e corno manso!! Aquilo foi a glária pra Lucia!Valter, é todo ádio, mas sua covardia é mais forte. Ele se dirige pra porta quando Rafer ainda lhe fala pela última vez.



- Ó bestalhão! Tu já...já comeu o cuzinho...dela?!!



Aquilo foi pior que um chute no saco de Valter. Ele tem ímpetos de dar meia-volta e matar aquele cara que tanto lhe insulta. Mas ao encarar Rafer, sente que o outro o encara mais firmemente, tendo um cínico sorriso nos lábios, pois acabara de gozar na boquinha da sua esposinha que um segundo antes também gozara esfregando sua xaninha no peito do pé de Rafer,escutando seu corninho ser esculachado, humilhado e insinuado de ser corno...e corno manso!! Aquilo foi a glária pra Lucia!



Quando a porta se fecha à saída de Valter, Rafer se agacha e suavemente puxa Lúcia pelos braços que está em ligeiro estado letargíco. Ele a chama por seu nome e aos poucos os verdes olhos de Lúcia se entreabrem, mostrando os alvos dentes e pequenos montes de semem espalhados pelos lábios, face e queixo. Lúcia, de repente, retoma sua real personalidade e solta um grito de aflição. Rafer, de súbito, sabe o que vem a seguir e age rápido. Lhe esbofeteia na face! Lucia fica um pouco em estado de choque.



-Quieta, vagabunda! Veste tua blusa...somente a blusa! Tira a mão do rosto! Não limpa pôrra nenhuma!! Vai até a janela e quando o corno de teu maridinho sair, chama por ele e diz que voce ficar até mais tarde...me dando o cuzinho!! - Lucia arregala os olhos e o pânico aparece em seu lindo rostinho afogueado.- Deixa de ser bôba, á putinha! Diga o que voce quizer! Mas que voce vai levar rola no cuzinho, isso vai!!



Rafer posiciona a mesa a cerca de um metro da janela de modo que ele se encoste nela e faz com Lucia encaixe sua turgida rolona entre as nádegas dela. Em seguida, acariciando-lhe a xaninha, ele encosta a boca na orelha dela e sussura:



-Agora se inclina pra frente pra que eles, lá de baixo te vejam do busto pra cima.



Lúcia, novamente, começa a se sentir estranha. O calor de luxuria vai se aumentando por todo seu corpo. Ela sente o arquejar de Rafer ao mesmo tempo que ele faz um suave sobe-e-desce com a tora entre suas nádegas e todo aquele pensamento de ser sodomizada toma conta de seu ser. Ela luta para não ceder, para resistir, mas a quentura daquela imensa rola aveludada lhe faz lembrar o cheiro do orgasmo que tivera minutos atrás. Lucia passa a língua em volta dos lábios e saboreia o resto de esperma que encontra.



-Vou deflorar voce agora...- A voz suave de Rafer encoar no ouvido dela - Voce vai ter o maridinho te olhando enquanto minha rola vai se agasalhar no teu cuzinho, minha bela!



Lúcia ainda resiste pelo inusitado da situação, mas ao mesmo tempo toda a expectativa que Rafer lhe descreve, sá lhe faz desejar imensamente que aquilo se torne real; ter a rola de um homem estranho em seu cuzinho enquanto é observada por seu marido! A antecipação é tão intensa que sua vagina arde de tezão e dor. A imagem que ela pressente de ver os chifres de seu maridinho cresceram a sua frente, é algo fantasticamente orgasmico para ela que sempre guiara seus valores morais pelos dogmas de sua igreja protestante. Vinha-lhe a mente agora, quantas vezes ela espanou da mente pensamentos de ser possuída por pelo menos uns dois pastores que ela sentira tezão! No meio destes pensamentos, ela sente a rombuda glande da tora de Rafer forçar lentamente a entrada de seu anus. Automaticamente ela se reteza como tinha feito anteriormente quando levou os dois dedos no cuzinho.



-Vem minha...putinha...relaxa...mas vem...devagarinho...assim...assimm!



O desconforto da passagem da glande inteiramente pelo seu anelzinho é compensado pelas palavras que Rafer lhe diz ao ouvido. Lucia aspira o ar profundamente enquanto espera seu cuzinho ir se acostumando com aquela gentil expansão.



- Já passou...toda a...cabeça...Mais um...pouquinho...vai...vai...assiiimm, sem medo...minha putinha...bundundinha...gostosa!...assiiimmm, aaahhh...



Lúcia não sabe o quanto de rola seu cuzinho já engoliu, mas agora o desconforto é mínimo e Lúcia sente que a libidinagem passa ser a fomentadora de sua total excitação e futuro orgasmo. A imagem dela estar ali esperando seu marido passar embaixo da janela enquanto um outro homem a sodomiza, é toda libidinagem que ela mais deseja!



Com um pouco mais da metade da rola de Rafer agasalhada no reto, Lúcia lentamente ensaia um curto vai e vem, percebendo que quanto mais longo, vai se acostumando com o desconforto, que ela espera que desapareça logo, logo! Então ela vê o topo da cabeça de seu pai e de seu marido, que na sua luxuria, acha que realmente vê duas protuberancias a crescer!



-Valter! Valter...amor! Aqui em cima!! O Dr. Rafer...quer...que...eu...aaahhh...lhe dê algumas...aããã...informa..ções. Acho...que...nãããooo serei...despedidaa...



Valter não sabe porque, mas aquelas reticencias na fala de Lúcia não lhe é estranha, mas no momento não sabe discernir, pois ainda está abalado com tudo que acontecera e principalmente pelo que Rafer tinha lhe dito. Valter vê sua bela esposinha na janela, um andar acima e começa um dialágo. Ele nota que ela está um pouco agitada - Provavelmente pela estressante situação, pensa ele - e responde-lhe que está tudo bem...que ele a espera em casa.



-Voce...não vai...se...incomodaaaar...de..eu..de eu...fazer isso com o...o...Dr....Raaafer, né? ...dele ficar...pegando...no...meu pé, ficar...atrás de mim...né?



-Não, meu amor! Está tudo bem. Se ele vai te manter no emprego é lágico que ele vai te "apertar", vai ficar no teu calo, atrás de voce o tempo todo! Quando acabar, telefona que eu venho te buscar! Um beijo!



- Eeespeeeera...tá tão...bom...eu...conversar...com voce...enquanto o Dr. Rafer...nãããooo vem!- Lucia já está acostumada em ter toda a rola de Rafer em seu canal anal e gagueja toda vez que os pentelhos dele se encostam em sua bunda. Por sua vez, Rafer cautelosamente faz o vai e vem da posse do cuzinho de Lucia, aproveitando o máximo da ligeira tremendeira de excitamento e nervosismo que Lúcia deixa transparecer da cintura pra baixo.



-Chega, putinha! Manda o corno ir embora! Quero voce sá pra mim agora!!



-Tchau amor...o Dr. Rafer já..chegooouu...e já....estááá...atrás de...miiimm!!



Com um adeus, Valter vê sua Lucinha recuar em vez de se virar e sair andando. Será que ela já dando a bundinha pra ele!! Não, impossível! - pensa ele- A Lúcia iria gritar, lutar! E ela não estaria tão controlada, como agora. Não, não! Impossível! Estou pondo coisas em minha cabeça!- finaliza seu pensamento.



-Vai Dr....vai! Empurra...meu cocozinho...pra dentro!- Lucia se abandona inteiramente ao abraço de Rafer, jogando os braços por sobre a cabeça, enquanto Rafer lhe morde a curva do pescoço e entre e sai do cuzinho daquela esposinha infiel.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos erotico loira casada filho do jardineiro negroconto tirei o cabaco da minha filha na presencada maeMeu patrao coroa ele me fudeu na sua lancha conto eroticoPorno Puinheta gostosa tamocada por esposa page 1xvidio mocinhaprimeiro conto de aline a loirinha mais puta e vadiaMe chupou contosconto erotico gay "pião"contos meu irmão e eu betinha vendo fala mulher pelada bonita gostosa peituda o capoeiristacontos de cú de coroa casadacontos vizinha novinha mas ja bem.desenvolvidaComtoerotico cherinho de bebecontos de estupro na praiacontos eroticos menina brincando na ruachantagiei minha sobrinha contosporno club contos eroticos de meninos gaysporno gey contos eroticos comendo priminho no colegiocontos eroticos casada flagra seu vizinho batendo punhetaconto pega na siriricacontos cunhada currada e dandoContos eroticos incesto meu maridocontos eroticos o estuprador me fudeu covardimentesou casada meti com o marido da minha melhor amiga contoscontos eróticos eu putinha cavalaamava bater punheta no pique escondeConto erotico ZoofiliaMeu compadre arrombou minha bucetajapinha.de.baixo da mesaMe comeram ao lado do meu namoradocontos eróticos caminhoneiro safadoprimas contos eróticona viajem de trabalho a mulher transa com o chefe e gostou contoDesde Novinha bebendo porra dos amigos contoshistoria e contos lesbica primeira vez com minha babapelado amarrado contosContos Eróticos podrecontos erotico de mae se apaxona pelo xixi da filhacontos eroticos incesto a neném do papaihega gotosaContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorNovinha enlouqueçeu os pedreirosContos eróticos dei a bucetinhacontos eroticos meu cunhado mim pergo su cumenda amulhe deleQuero ler,contos homem fudendo menino de rua novinhominha mae tava dando a buceta pro papai e fraguei contos eroticosContos eroticos mamae e filha gulosa chupando o pauzao do seu filho e de cinco amigos dele em uma putaria na piscina de casacontos eroticos gays come meu pai bebado mais o meu amigoDo caralho-tecnico de informatica-contoContos eroticos de podolatria com fotos desejando chupar pes na loja de sapatomeu cunhado contos de casadasconto comi o cu do molequecontos incesto troca de filhasmeu sogro tem a rola de 26cm e socou tudo em mim.contos eroticos entre prima e primo na infanciapaguei aposta chupando contos conto porno medico aplicandco injecao na mocbicpntos eróticos percebi que me olhavam e batiam punhetacontos eroticos excitantes- a filhinha choronaconto erotico velhasdei pros amiguinhos do meu filho contos eróticosviajando no colo do motorista, acabamos transando contos eroticosPai filha mijando na praia contos eróticoscontos eróticos de mãe ajeitando a filha para o pai comer na frente delacontos eroticos menina de 07anos dando a xaninhacasada meu visinho virgem contosMEU ENTEADO ME FEZ CHORAR NA ROLA DELE CONTOcontos eroticos.veridico.minha esposawww XVídeo pornô o tio f****** a sobrinha foi bonita e de Menortravesti linda barriga de tanquinho gostosa metendo vídeo liberado metendo gostoso peitudacontos eróticos de milhares casa assediada pelo vizinhocontos de sexo depilei minha bucetaQuero treinar o vinha perdendo a virgindade da bucetinhaconto erótico sobre 69 entre primos gays com fotosConto erotico advogada enrabadaconto atochada corno xxxcontos de cú de irmà da igrejaduas irmas gozando juntas conto eroticoconto tirei a virgindade da crente no matoscontos de cú de irmà da igrejacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos gay entre primoscontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaContos de casada estrupada dentro de casacontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigocontos eroticos vi minha filha com uma calcinha fio dental atolada no cucontos eróticos novinho macunbeiracontos de cú de irmà da igrejacontos... me atrasei para casar pois estava sendo arregaçada por carios negoesmeu enteado estourou meu cu contosx vedio de alfilhadasContos mulher coloca silicone no peito e marido vira cornocomeu o cu da filha do patrão novinha de17 pornodoidocontos eroticos gays viagem de ferias para fazenda com dotadosalto alto conto eroticoconto erotico eu meu marido e minha mae sexo no moteucontos eroticos foi comer cu de esposa e viu que tava arrombadaconto fui na praia de nudismo so pra ve as buceta cabeluda